Deus, o nosso purificador!

Malaquias 3:3 diz: “E assentar-se-á como fundidor e purificador de prata...”  Esse versículo bíblico intrigou umas mulheres de um estud...

Malaquias 3:3 diz: “E assentar-se-á como fundidor e purificador de prata...” 

Esse versículo bíblico intrigou umas mulheres de um estudo bíblico e elas ficaram pensando o que essa afirmação significava em relação ao caráter e à natureza de Deus. Uma delas ofereceu-se para descobrir sobre o processo de refinamento da prata para o próximo estudo bíblico. 

Naquela semana, a mulher ligou para um ourives e marcou um horário para assisti-lo trabalhar. Ela não mencionou a razão do seu interesse e só disse estar curiosa para conhecer o processo. Ela foi assisti-lo. Ele pegou um pedaço de prata e o segurou sobre o fogo, deixando-o esquentar. Ele explicou que, no refinamento da prata, é preciso que se segure a mesma bem no centro da chama, onde é mais quente e queima-se as impurezas. 

A mulher pensou sobre Deus, que às vezes, segura-nos em situações 'quentes' e pensou novamente no versículo: 'E assentar-se-á como fundidor e purificador de prata...' Ela perguntou para o artesão se ele tinha mesmo que ficar sentado o tempo todo na frente do fogo enquanto a prata estava sendo refinada. Ele disse que sim; que não somente ele tinha que ficar lá, segurando a prata, mas que ele tinha que, também, manter seus olhos na mesma o tempo todo que ela estivesse nas chamas. Se a prata ficasse um minuto a mais no fogo, seria destruída. 

A mulher ficou em silêncio por um momento. Então, ela perguntou: 'Como você sabe quando a prata está totalmente refinada?' Ele sorriu e disse: 'Ah, isso é fácil... É quando eu vejo minha imagem nela.' 

Se hoje você está sentindo o calor do fogo, lembre-se que os olhos de Deus estão sobre sua vida e que Ele vai ficar cuidando até que Ele veja Sua imagem em você. “Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, (...) Porquanto aos que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, (...)” (cf. Rm 8.28-29)


*Autor desconhecido

Postagens Relacionadas

0 comentários