A terceirização do amor ao próximo.

Tudo hoje em dia parece que é terceirizado. Pagamos para que outro se responsabilize por um trabalho que deveria ser nosso. Muito mais...



Tudo hoje em dia parece que é terceirizado. Pagamos para que outro se responsabilize por um trabalho que deveria ser nosso. Muito mais prático e eficiente certo?

Porém nem tudo podemos "passar para frente".

Tenho percebido que infelizmente nós cristãos temos terceirizado até o nosso amor ao próximo.

Entregamos os dízimos e ofertas na igreja e ela que se vire em ajudar quem esta necessitado.

E assim nos auto justificamos achando que é o suficiente, e que estamos sendo cristãos piedosos e amando o próximo como Cristo ordenou, afinal "fizemos a nossa parte", mas na verdade estamos nos assemelhando aos mestres da lei e fariseus hipócritas:

"Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! 
Vocês dão o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, 
mas têm negligenciado os preceitos mais importantes da lei: 
a justiça, a misericórdia e a fidelidade. 
Vocês devem praticar estas coisas, sem omitir aquelas." 
(Mateus 23.23)

O fato de colaborarmos financeiramente com uma igreja não nos isenta de ajudar o próximo. Temos que fazer estas coisas sem omitir as outras.

É claro que em igrejas sérias, a arrecadação financeira tem a finalidade entre muitas não somente a manutenção básica do próprio templo mas também para ajudar os necessitados, porém geralmente essa ajuda é burocratizada.

Sabe por que burocratizada?

Porque geralmente há de se passar o pedido de auxilio para uma junta diaconal avaliar, e essa junta as vezes tem que conseguir a verba com o conselho ou arrecadar o que o necessitado está precisando, e enquanto isso, as horas, dias e as vezes semanas vão passando e o necessitado padecendo.

Ou as vezes se é indicado o CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) da cidade para que a pessoa vá atrás de ajuda do governo.

Imagine aqui a parábola do bom samaritano, se ao invés dele ter parado para ajudar o ferido, ele passasse por perto, e explicasse para ele como conseguir seus direitos sociais do governo, ou que iria avisar na secretaria da igreja de sua necessidade?

Há necessidades que não se pode esperar o dia seguinte. Temos que exercer o nosso chamado de cristão e não ficar terceirizando a nossa responsabilidade.

Que possamos estar atentos e sermos encontrados obedientes aos mandamentos do Senhor.


Que o Altíssimo nos abençoe!


Grácia Donadeli


Postagens Relacionadas

0 comentários